Fatima Guedes
Fatima Guedes - 1980

Gravadora: EMI
Produtor: Renato Corrêa

MAIS UMA BOCA
(Fatima Guedes)

Quem de vocês se chama João?
Eu vim avisar, a mulher dele deu a luz
sozinha no barracão
E bem antes que a dona adormecesse
o cansaço do seu menino
pediu que avisasse a um João
que bebe nesse bar
me disse que aqui é que ele se embriaga
Quem de vocês se chama esse pai
que faz que não me escuta?
É o pai de mais uma boca
o pai de mais uma boca
Vai correndo ver como ela está feia
vai ver como está cansada
e teve o seu filho sozinha sem chorar, porque
a dor maior o futuro é quem vai dar
a dor maior o futuro é quem vai dar
E pode tratar de ir subindo o morro
que se ela não teve socorro
quem sabe a sua presença
devolve à dona uma ponta de esperança
Reze a Deus pelo bem dessa criança
pra que ela não acabe como os outros
pra que ela não acabe como todos
pra que ela não acabe como os meus

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Piano Elétrico: Gilson Peranzzetta
Guitarra: Hélio Delmiro
Violoncelo:Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Arranjador: Gilson Peranzzetta

ALDEIA MODELO
(Fatima Guedes)

Eles viram nossa face macilenta
nossa barriga impaluda
mas nada disseram, nada
porque era caluda
Eles viram nossas casas de barro e palha
como na intenção de abrigo
mas não se fizeram entrar
pois que havia perigo
Eles viram a nossa comida
por nossas mãos do chão arrancada
de nossas mãos por outras arrancada
e não comeram nada
Não puseram nossas vestimentas
poeiradas, mal cheirosas
e acharam feias nossas mulheres
magras, mas corajosas

Trombone: Edmundo Maciel
Piano: Gilson Peranzzetta
Guitarra: Hélio Delmiro
Trompete: Nilton Rodrigues
Arranjador: Gilson Peranzzetta

TRASTE
(Fatima Guedes)

Ele já chega morto
de corpo, de alma ausente
Esquece em algum bolso
um beijo que me alimente
Ele se acha um traste
e embora não reclame
do seu ordenado
não diz quanto ganha
fica envergonhado
Eu sei pelo tão pouco que ele dá pra mim
Janta do que tiver
e vai dormir com fome
Eu sou uma mulher
amiga de meu homem
Eu deito do seu lado
e embora ainda fique
com o corpo em brasa
ele já chega morto
de corpo em casa
e guarda sua alma
em algum bolso à toa
Ele pegou no sono
antes de mim, como sempre
Eu fico a rolar na cama insone, cansada
Como mulher infeliz
como gente revoltada

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hackteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Piano Elétrico: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Clarinete: Jayme Araújo
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Arranjador: Gilson Peranzzetta

O BLOCO DAS MIMOSAS BORBOLETAS
(Fatima Guedes)

O Bloco das Mimosas Borboletas
saía todo ano com as suas meninas
dançando em cima de um carrossel alugado
e todo decorado com serpentinas
era um lindo bloco de solteiras
Voavam baixo as mimosas borboletas
seguidas bem de perto por suas famílias
que atentas agitavam suas ventarolas
espantando o calor, protegendo as filhas
das malandragens e galanterias
E num sábado de carnaval duas mimosas irmãs
que borboleteavam discretas e prosas pros fãs
desapareceram sem menos, sem mais
deixando o grupo pra trás
sumindo no carnaval da vida
De uma delas até hoje não se sabe
e a outra apareceu depois na quarta-feira
pra apanhar suas roupas se dizer sentida
e de fato estava um pouco abatida
depois foi-se embora de automóvel

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Piano: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Coro: Marizinha, Regina Corrêa, Solange, Viviane Godói
Arranjador: Gilson Peranzzetta

PALADAR
(Fatima Guedes)

Onde foi que você
perdeu sua crítica, o seu paladar?
Como foi, porque foi
que não soube me amar
quando eu estava perto?
O amor
morre de cansaço
e renasce um carinho
do seu ressentimento
de ainda estar sozinho
mas não se engane
não chame despeito de saudade
Você não perdeu
nem um pouco o costume
de me incomodar
me tirar do sossego
pra eu admirar sua infelicidade
E logo agora
que eu aprendi
a conviver com a minha
eu já morei com o medo
de acabar sozinha
e agora você pede pra voltar
me humilha mais uma vez
pensa que eu vou voltar
me humilha
Por que será que o amor
se considera imune?

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany
Piano Elétrico: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard
Viola de Arco: Nelson de Macedo
Saxofone Soprano: Ricardo Pontes
Violoncelo: Watson Clis
Arranjador: Gilson Peranzzetta

DANCING CASSINO
(Fatima Guedes)

Eu cumpro um destino
ele me tirou do dancing cassino
rasgou meu cartão, me puxou pelo braço
e era a paixão dele contra o meu cansaço
Eu não gosto dele
quando ele me olha eu fico gelada
eu tenho que dar uma paga pesada
pela caridade, pela moradia
e a vida decente de uma alvenaria
de não precisar dormir durante o dia
Eu não me acostumo
ele chega às sete e às nove eu me arrumo
Quando ele me vê limpa, desaparece
o medo de que eu já o tenha enganado
Respira por mim, me despe afobado
e ele se escorrega de mim saciado
e eu sinto uma angústia, um pavor dobrado
quando ele me toca uma segunda vez
Talvez ele tenha sido um mau freguês
talvez eu não valha uma briga num dancing

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack, Giancarlo Pareschi
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Piano Elétrico: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Flugelhorn: Nilton Rodrigues
Arranjador: Gilson Peranzzetta

CONDENADOS
(Fatima Guedes)

Ah, meu amor, estamos condenados
nós já podemos dizer que somos um
Nós somos um
e nessa fase do amor em que se é um
é que perdemos a metade cada um
Ah, meu amor, estamos mais safados
hoje tiramos mais proveito do prazer
E somos um
quando dormimos juntos sonhos separados
que nós não vamos confessar de modo algum
Ah, meu amor... ah, meu amor...
quantas pequenas traições
pobres mentiras diplomáticas
de puras intenções (estamos condenados)
Ah, meu amor, de discretos pecados
formamos esse ser tão uno, divisível
Parece incrível
que nós tentemos que ele dure eternamente
nessas metades incompletas
mas decentes

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Piano: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Flugelhorn: Nilton Rodrigues
Arranjador: Gilson Peranzzetta

CHEIRO DE MATO
(Fatima Guedes)

Ai, ai, o mato, o cheiro, o céu
o rouxinol no meio do Brasil
O uirapuru canta pra mim
e eu sou feliz só por poder ser
só por ser de manhã
manhã, manhã, manhã, manhã
nessa clareira o sol
se despe feito brincadeira
envolvendo quente a todo ser vivente
taperebá, canela-tapinhoã
Nanã, nanã, nanã, nanã
não faço nada que perturbe
a doida, a louca passarada
ou iniba qualquer planta dormideira
ou assuste as guaribas na aroeira
Em contraponto com pardais urbanos
tão felizes, soltos, dentro dos meus planos
mas boquiabertos que os meus vinte anos
indóceis e livres como eu

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Trompa: Antônio Cândido Sobrinho, Zdenek Svab
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Viola 12 Cordas: Ary Piassarollo
Piano Elétrico: Eduardo Souto Neto
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Arranjador: Eduardo Souto Neto

TANTO QUE APRENDI DE AMOR
(Fatima Guedes)

Tanto que aprendi de amor na vida e
agora descobri
que não sei nada mais
Força eu fiz pra ter
com esse rapaz
só boa companhia
hoje eu gosto demais
Sabe que até falta ele me faz
sabe que eu tentei não compreender
e dei pra relembrar as coisas más
pra esquecer
Tanto que aprendi de amor
tanto e daí
na hora de fugir
não me senti capaz
Quero o que me sobra dele em mim
a boa companhia
a vida que ele traz
Força eu fiz, mas já não faço mais
sei onde me leva essa ilusão
mas não amar também me tira a paz
e a emoção

Violino: Aizik Meilach Geller, Alfredo Vidal, Carlos Eduardo Hack, Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, José Alves da Silva, José Dias de Lana, Paschoal Perrota, Virgilio Arraes, Walter Hack
Viola de Arco: Arlindo Figueiredo Penteado, Frederick Stephany, Nelson de Macedo
Trombone: Edmundo Maciel
Piano: Gilson Peranzzetta
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura), Márcio Eymard Mallard, Watson Clis
Arranjador: Gilson Peranzzetta

DOR MEDONHA
(Fatima Guedes)

Triste do amor que acaba
do jeito que o nosso acabou
Triste do amor que termina
com o mesmo mal-estar
E deixa no seu rastro
uma saudade sem-vergonha
um imenso vazio, uma fome imensa
e uma dor medonha
Triste do amor que teima
em soluções muito definitivas
Que sensação de fracasso
depois de tantas tentativas
pra recuperar
um velho entusiasmo
que foi afundando, dia menos dia
e sumiu no marasmo
O que fica pra nós disso tudo
é um acordo inconformado
Nós que agimos do modo que achamos
mais civilizado
Dói saber que apesar de já ter sido bom
fica a impressão de muito tempo perdido
Dói saber que se a gente se vir na rua
vai se sentir inibido

Piano: Gilson Peranzzetta
Violão: Hélio Delmiro
Arranjador: Gilson Peranzzetta