Fatima Guedes
Sétima Arte - 1985

Gravadora: Polygram / Philips
Produtor: Paulinho Albuquerque

SÉTIMA ARTE
(Fatima Guedes)

Abre-se o veludo da cortina
um sonho começa a me levitar
me leva até a sua mágica janela
e acontece que reacontecerá
Todos os lugares por onde andei
e as pessoas por quem me apaixonei
giram, giram, assim em mim, e à minha volta
o cenário, o beijo, o homem e a loura
Tudo isso é demais pro meu coração
tanta luz, tanto sonho, outra dimensão
Meus deuses, minhas deusas
dos irreais momentos
são reais se são os meus sentimentos

Baixo Elétrico: Arthur Maia
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Bateria: Téo Lima
Arranjador: Gilson Peranzzetta

MINHA NUDEZ
(Fatima Guedes)

Às vezes é como se um vento
soprasse aqui dentro de mim
uma corrente de ar
uma brisa interior
Como o vento do metrô
suspende a saia da Marylin
eu também fico assim
refrescada
Eu gosto de saborear meu escândalo
é minha vez, é minha nudez
sou eu
Preciso de vento e de sonho
pra que eu me sinta real
pra que eu me sinta mais
desejada
Eu quero é que o vento
e que todos os ventos que moram em mim
deixem minha alma
despenteada

Bongô: Armando Marçal (Marçalzinho)
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Baixo Elétrico: Luizão Maia
Bateria: Paulinho Braga
Guitarra: Victor Biglione
Arranjador: Gilson Peranzzetta

FILM NOIR
(Fatima Guedes)

Meu amor, meu bem, meu protetor
que braços você tem
que corpo de herói
cabeça de neném
Meu amor, seus braços vão servir
pra eu desmaiar num "oh..."
pegar um marginal
firme pelo gogó
Quando o diretor fizer... assim
(ele mandou você olhar pra mim)
Recosta a meu lado num sofá
azul, azul capitoné
Eu saio e preparo o seu café
eu volto e me entrego pra você
Eu era a sua única pista
Anjo ou vigarista?
Traiçoeira, sim
você procurou por mim
o filme inteiro
Fui eu mesma quem
planejou tudo
Ah, meu inspetor
da Scotland Yard
Meu amor, meu bem, meu repressor
me bota no xadrez
Paga a fiança
e eu saio dentro de um mês
Meu amor, fui má, pequei, dancei
Suspensa a sentença
juro, meu inspetor
que o crime compensa
Meu amor, meu homem, minha lei
diz que me adora
Eu digo o que sei

Baixo Elétrico: Arthur Maia
Piano: Gilson Peranzzetta
Arranjador: Gilson Peranzzetta

MANSÃO DO TERROR
(Fatima Guedes)

Tô encurralada aqui e morta de medo
Ele tá me olhando e eu fico paralisada
E agora?
Tá passando a língua nos dentes
e vem se aproximando, vem chegando
chegando, chegando...
E eu quero gritar, nada me sai da garganta
Ele olha o meu pescoço com uma cara de fome
E agora?
Se eu correr ele me pega
se eu ficar ele me come
me come, me come, me come...
E então entendi
a total solidão
do vampiro e aí
larguei meu coração
Com ele me casei
na mansão do terror
E hoje eu preciso
tanto do sangue dele
e ele do meu amor

Baixo Elétrico: Arthur Maia
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Trompete: Henrique Cunha
Saxofone Tenor: Leo Gandelman
Bateria: Téo Lima
Guitarras: Victor Biglione
Saxofone Alto: Zé Nogueira
Arranjador: Gilson Peranzzetta

OS AMORES QUE EU NÃO TIVE
(Fatima Guedes)

Os amores que eu não tive
estão me atormentando agora
Como eu fui perder fulano
porque beltrano foi embora?
Um fantasma que eu não vi
se ri de mim hoje em dia
pelos cantos
da minha casa vazia
Os amores que eu não tive
ainda estão mandando flores
flores que eu não sinto o cheiro
na ausência desses amores
Cada um fez o que quis
da sua vida e agora?
Perdi fulano
beltrano foi embora
Assim passei por eles passaram por mim
E por certo não vão poder voltar do fim
pois não sei o que perdi
e não sei quando
e por que a vida segue
me empurrando
zombando dos amores que não tive
Os amores que eu não tive
esse medo que me assalta
como eu fui perder fulano
porque beltrano me faz falta
Cada um fez o que quis
da sua vida e agora?
Perdi fulano
beltrano foi embora

Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Flugelhorn: Henrique Cunha
Baixo Elétrico: Luizão Maia
Bateria: Paulinho Braga
Guitarra: Victor Biglione
Arranjador: Gilson Peranzzetta

UM SONHO
(Fatima Guedes)

Senti calor de luzes
ouvi aplausos
nasci estrela
Parece um sonho
um sonho
Ao som de tantas vozes
nasci estrela
estonteada
Estonteante
vibrante
Vivendo
a flor de cada momento novo
Ah, se eu soubesse
soubesse
que a flor no sonho
dura o tempo do sonho
e mais nada
Ela, a deusa, a musa
está sozinha
com medo de ir
ficando louca
louca
Fausto de saia justa
perdido o corpo
perdida a alma
perdeu seu sono
seu sono
Que era
quase o último refúgio
feito uma morte benvinda
Benvinda
Venha se esconder
de tantos olhares, ah...

Baixo Elétrico: Arthur Maia
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Bateria: João Cortez
Guitarra: Victor Biglione
Saxofone Soprano: Zé Nogueira
Arranjador: Gilson Peranzzetta

NATUREZA MORTA
(Fatima Guedes)

O artista mordeu a maçã
que não consegiu pintar
seria uma natureza morta
O artista irritou-se
arrumando as frutas na bandeja
e olhava, e olhava, e olhava
pra fruta torta
Quem criou a maçã
e o pecado de pintá-la
quem criou a ilusão de recriá-la
em pura perfeição?
O esteta se desesperou
Poeta de simetria
devorou aquilo que eternizaria
O artista uma vez fez amor
com um modelo vivo
Queria pintar e acabou
esquecendo o motivo
O artista irritou-se
consigo e com tudo mais a ver
com a pose
e com a luz errada do atelier
Quem criou o amor
e o pecado da beleza
foi essa indisciplina da natureza
Isso mortificou
o esteta, se desesperou
Poeta de simetria
devorou aquilo que eternizaria

Cuíca: Armando Marçal (Marçalzinho)
Congas: Armando Marçal (Marçalzinho)
Tamborins: Armando Marçal (Marçalzinho)
Palmas: Armando Marçal (Marçalzinho), Fatima Guedes, Gilson Peranzzetta
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Trompete: Henrique Cunha
Saxofone Tenor: Leo Gandelman
Baixo Elétrico: Luizão Maia
Bateria: Paulinho Braga
Guitarra: Victor Biglione
Saxofone Alto: Zé Nogueira
Arranjador: Gilson Peranzzetta

NÃO TE AMO MAIS
(Filó e Fatima Guedes)

Será que o tempo se apaga
será que é pedir demais
será que o tempo cura
o que o próprio tempo faz?
Eu vou deixar de te amar
e aí vou ver quanto amei
Me esqueça, não me esqueça
eu nunca te esquecerei
Será que o tempo clareia
os vícios dessa paixão?
Será que ele me abandona
às portas da solidão?
Um dia, se Deus quiser
não vou te ver nunca mais
Te amo, não te amo
amo, não te amo mais
Será que o tempo passando
reúne o que se rompeu?
Eu quero que ele morra
que sofra bem mais que eu
Será que ele quer voltar
será que ainda vou ter paz?
Te amo, não te amo
amo, não te amo mais

Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Baixo Elétrico: Luizão Maia
Bateria: Paulinho Braga
Guitarras: Victor Biglione
Arranjador: Gilson Peranzzetta

FÉRIAS EM ACAPULCO
(Fatima Guedes)

Em Acapulco
quem sabe eu conheço
uma americana
boa pessoa
boa de cama
Se ela for rica
me leva correndo
pra Martinica
me paga em dólar
diz que me ama
E eu vou passar o verão
numa praia do Havaí
vou pro Tahiti
vou pra Bahamas
Essas senhoras
de muito romance e muita idade
são tão ricas e
são bem sacanas
Eu peço um suco
e ela vai pra cabine
porque se enjoa
Vim de Miami
vou pra Samoa
E no convés
eu encontro com a moça
da minha vida
só de biquini
(Ah, minha querida!)
E eu levo um papo
e ela diz que morou
no Guayaquiqui
mas que frenesi
coisa bacana
e a velha sai
da cabine e me flagra
com a moça... ih!
me largou aqui
Copacabana

Cincerro: Armando Marçal (Marçalzinho)
Congas: Armando Marçal (Marçalzinho)
Guiro: Armando Marçal (Marçalzinho)
Bongô: Armando Marçal (Marçalzinho)
Clave: Armando Marçal (Marçalzinho)
Baixo Elétrico: Arthur Maia
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Trompete: Henrique Cunha
Saxofone Tenor: Leo Gandelman
Bateria: Téo Lima
Tímpanos: Téo Lima
Guitarras: Victor Biglione
Saxofone Alto: Zé Nogueira
Arranjador: Gilson Peranzzetta

CRIATURA
(Fatima Guedes)

Meu pai, acho que a sua criatura
saiu da escuridão segura
pra luz de alguma experiência errada
Mais nada
Cobri minha pele costurada
e a alma ainda alinhavada
e fui andar pela cidade
A pura verdade
é que nasci com esse tamanho
de algum sopro de vida estranho
Que temporal, que ventania
que raios, que dia!
Meu criador enraivecido
olhou pro seu recém-nascido
e acho que fugiu de medo
Meu pai, não me abandone agora
foi o que pensei na hora
mas não pensei com palavras
porque as palavras
outra espécie de vazio
não me vestiam quando eu sentia frio
Meu pai, aprendendo e apanhando
o tempo inteiro buscando
compreender sua intenção
Eu me danei feito um bicho na cidade
minha vontade soube me dar a mão
O fogo das minhas poucas descobertas
na areia das mil coisas certas
se acende ainda em mil perguntas
fagulhas que juntas
vem a ser minha alma infame
Talvez meu criador me ame
talvez meu criador me ame
talvez...

Ganzá: Armando Marçal (Marçalzinho)
Tamborim: Armando Marçal (Marçalzinho)
Surdo: Armando Marçal (Marçalzinho)
Violão: Cláudio Jorge
Piano: Gilson Peranzzetta
Teclados: Gilson Peranzzetta
Baixo Elétrico: Luizão Maia
Arranjador: Gilson Peranzzetta