Fatima Guedes
Grande Tempo - 1995

Gravadora: Velas
Produtor: Paulinho Albuquerque

MINHA NOSSA SENHORA
(Fatima Guedes)

Que que é isso que se costura
na minha alma
doce sutura, futura calma
que a prece alcança na paz de Deus
E até mesmo se há alguém que pense
que a morte é sonho
melhor viver nessa vida um sonho
que eu possa ver pelos olhos teus
Pois sabendo que um dia é sempre
chegada a hora
eu peço, oh Minha Nossa Senhora
que estenda a mão sobre o meu país
Quem te implora é outra Maria
a Maria qualquer, a Maria aprendiz
Eu também quero ser
quem não quer? quero ser feliz

Viola de Arco: Eduardo Roberto Pereira
Violino: Glauco Fernandes, José Alves da Silva, Léo Fabrício Ortiz, Luiz Carlos Campos Marques, Sônia Nogueira, Walter Hack
Contrabaixo: Jorge Helder
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura)
Violão: Lula Galvão
Arranjador: Leandro Braga, Lula Galvão

O DIA EM QUE FAREMOS CONTATO
(Lenine e Bráulio Tavares)

A nave quando desceu, desceu no morro
ficou da meia-noite ao meio-dia
saiu e deixou uma gente
tão igual e diferente
falava e todo mundo entendia
Os homens se perguntaram
por que não desembarcaram
em São paulo, em Brasília ou em Natal
Vieram pedir socorro
pois quem mora lá no morro
vive perto do espaço sideral
Pois em toda a Via Láctea
não existe um só planeta
igual a esse daqui
A galáxia tá em guerra
paz só existe na Terra
a paz começou aqui
Sete artes e dez mandamentos
só tem aqui
cinco sentidos, terra, mar, firmamento
só tem aqui
essa coisa de riso e de festa
só tem aqui
Baticum ziriguidum, 2001
só tem aqui
A nave estremeceu, subiu de novo
deixou um rastro de luz no meio-dia
Entrou de volta nas trevas
foi buscar futuras levas
pra conhecer o amor e a alegria
A nave quando desceu, desceu no morro
cheia de ET vestido de orixá
vieram pedir socorro
e se derem vez ao morro
todo o Universo vai sambar

Percussão: Armando Marçal (Marçalzinho)
Baixo Elétrico: Bororó (Dimerval Silva)
Vocal: Grupo Arranco de Varsóvia
Percussão: Jaguara da Mangueira (Jaguaracy Pereira Machado), Ovídio Brito, Trambique (José Belmiro Lima)
Violão: João Lyra, Lenine
Arranjador: Lenine, Paulo Malagutti

MÃOS DE JARDINEIRO
(Luiz Avellar e Fatima Guedes)

O que eu sabia de amor até hoje
era apenas a falta que o amor me fazia
Vida, esse fogo de vida
e um calor na mão fria
Tanto tempo esquecida de mim
feito uma flor miúda num canto do jardim
esperando um olhar, um carinho, um cuidado
Esperei por alguém
alguém como você do meu lado
O que eu sabia de amor até hoje
era amor pelo avesso, começo do fim
Foi tudo o que eu pude aprender
no abandono de mim
E você, com mãos de jardineiro
tenta reviver essa flor esquecida
Jardineiro de mim
que me sopra nos lábios
um pouco da sua vida

Violão: Hélio Delmiro

GRANDE TEMPO
(Fatima Guedes)

Grande tempo, grande tempo
zum, zum, zum, zum de neon
No princípio o verbo era
e a própria luz vem do som
Oh, grande tempo
eu tenho amor pela arte
se ela está dentro de mim
me lança nos teus braços
e assim vou contigo
à toda parte
Grande tempo, grande tempo
esses caminhos são meus
todas as ciências juntas
beijam as saias de Deus
Oh, grande tempo
o que é meu está guardado
não está grudado no céu
nem colado no futuro
só sei que contigo está seguro

Violão: Bilinho Teixeira
Baixo Elétrico: Bororó (Dimerval Silva)
Flautas: Carlos Malta
Percussão: Marcos Suzano
Arranjador: Bilinho Teixeira

O CÔCO DO CÔCO
(Guinga e Aldir Banc)

Moça donzela não arrenega um bom côco
nem a mãe dela, nem as tia, nem a madrinha
Num côco tô com quem faz muito e acha pouco
em rala-rala é que se educa a molhadinha
Se tu não peca meu bem
cai a peteca neném
vira polícia da xereca da vizinha
Se tu se guarda e não tem
tá encruada que nem
ovo no cu da galinha
Não tem cinismo quem diz
entre a santa e a meretriz
só muda a forma com que as duas se arreganha
Eu só me queixo se criar teia de aranha
quem nega, ou tá de manha
ou faz pouco que gozou
No tempo em que eu casei de véu com meu marido
eu era virgem do ouvido e ele nunca reclamou
pra ser sincera eu acho
que isso inté facilitou
Moça...

Flautim: Carlos Malta
Violão: Guinga, Lula Galvão
Cavaquinho: Lula Galvão
Percussão: Marcos Suzano

SÓ DÓI QUANDO EU RIO
(Moacyr Luz e Aldir Blanc)

Só fico à vontade
na minha cidade
Volto sempre a ela
feito criminosa
Doce e dolorosa
a minha história escorre aqui
Há quem não se importe
mas a Zona Norte
é feito cigana
lendo a minha sorte
sempre que nos vemos
ela diz quanto eu sofri
E Copacabana
a linda meretriz-princesa
loura Mãe de Santo
com sua gargantilha acesa
Ela me ensinou pureza e pecado
a respiração do mar revoltado
Rio de Janeiro, favelas no coração

Contrabaixo: Adriano Giffoni
Violoncelo: David Chew, Márcio Eymard Mallard
Violão: Moacyr Luz
Arranjador: Gilson Peranzzetta, Moacyr Luz

LUA BRASILEIRA
(Fatima Guedes)

Lua brasileira
surgindo deslumbrante na floresta
toda verde prata
Luz de festa, mãe da mata
Lua delicada
pelos mares do Atlântico passeia
branca lua cheia
Noite alta, madrugada
Linda
por entre os edifícios brilha a lua
uma em cada rua
lua feiticeira
surpreendente,
a cada esquina
ela é feminina
lua brasileira

Percussão: Armando Marçal (Marçalzinho), Jaguara da Mangueira (Jaguaracy Pereira Machado), Ovídio Brito, Trambique (José Belmiro Lima)
Violão: Cláudio Jorge
Violoncelo: David Chew, Márcio Eymard Mallard
Baixo Elétrico: Jorge Helder
Trombone: Vittor Santos
Arranjador: Cláudio Jorge, Gilson Peranzzetta

NAS NUVENS
(Fatima Guedes)

Chega de chorar sozinha
eu sou igual a todas as mulheres
Eu posso resistir à tentação
é só uma paixão
Ninguém sabe
Que eu sonho te encontrar um dia
passar a tarde em sua companhia
fazendo amor que nem onda do mar
Onde é que eu vou parar?
Ninguém sabe
Tem hora que eu penso
que vai valer a pena
tem hora que eu sinto
que falta coragem
Se eu dormir nas nuvens
e acordar serena
E se outro amor me levar
pra outra viagem

Violão: Bilinho Teixeira
Viola de Arco: Eduardo Roberto Pereira
Violino: Glauco Fernandes, José Alves da Silva, Léo Fabrício Ortiz, Luiz Carlos Campos Marques, Sônia Nogueira, Walter Hack
Violoncelo: Jorge Kundert Ranevsky (Iura)
Gaita (Harmônica): Rildo Hora
Baixo sem Traste: Zeca Winicki
Arranjador: Bilinho Teixeira, Leandro Braga

A DOIS
(Sueli Costa e Ana Terra)

Mas de repente a luz
a explosão me cega
essa paixão me pega
e me reduz a dois
Então já sei que é dor
rimando com amor
Um anjo diz amém
e falta ar depois
mas só seu nome é lindo
só seu corpo é bom
O mundo, triste exílio
não passa de um borrão
Você é nitidez
melhor obra de Deus
Quem sabe Ele só quis
se ver com os olhos meus
mas de repente a luz

Contrabaixo: Jorge Helder
Violão: Marco Pereira
Percussão: Marcos Suzano
Guitarra: Victor Biglione
Arranjador: Marco Pereira

ENLUARADA
(Moacyr Luz e Aldir Blanc)

É tão divina essa hora
com a lua cobrindo o mar
São dois amantes arfantes
querendo nos arrebatar
Ao meu lado esses passos prosseguem
e talvez nunca haja outro encontro
Ah, meus erros de amor não me neguem
o meu peito está pronto
Tonto foi meu coração
na ilusão de não sermos sós
mas carreguei sobre os ombros
os amores de todos nós
A saudade jorrou em torrentes
e o meu corpo não pode contê-la
eram tantos na ânsia de luz
que eu virei uma estrela
Com o tempo formei sociedade com a lua
quando um boêmio caia na rua
já não sabia se o beijo era dela ou era o meu
Se você acordar sem luar, sem abrigo
é só lembrar desse momento antigo
pois deixei minha voz misturada na espuma do mar
pra enluarar

Contrabaixo: Adriano Giffoni
Violoncelo: David Chew, Márcio Eymard Mallard
Acordeon: Gilson Peranzzetta
Violão: Moacyr Luz
Arranjador: Gilson Peranzzetta, Moacyr Luz

CAOS BRASIL
(Guinga, Aldir Blanc e Paulo Emilio)

Rumba com bumba-meu-boi
Cuba com zabumba no carnaval
princesas acesas dão pro Ganga Zumba no quintal
e Tiradentes traçou Portugal num canavial
Pero Vaz Caminha pintou de rainha no Bolshoi
Caramuru busca-pé de Paraguaçu lá pra Niterói
Macumbas acesas no Outeiro das Glórias de jornal
choram pingentes que caem dos trens no Brasil Central
Cobras e lagartos desfilam na zona militar
E um surfista inzoneiro de Ipanema
dá vinte facadas no ventre de Iracema
Aí, Iemanjá envolve o corpo da virgem nas espumas do mar
e ninguém viu
é o caos-Brasil

Percussão: Armando Marçal (Marçalzinho), Jaguara da Mangueira (Jaguaracy Pereira Machado), Ovídio Brito, Trambique (José Belmiro Lima)
Baixo Elétrico: Jorge Helder
Violão: Lula Galvão
Arranjador: Lula Galvão

SEM SAÍDA
(Fatima Guedes)

Fogo insidioso do destino
marca no meu corpo a sua trilha
Quem ousa querer me amar assim
pra me fazer de ilha?
Como não sentir na pele a ardente
espada torturante do destino?
Amanhecerei eternamente
ao lado de um menino
Escrava de uma dor
que eu não quero
eu amo e o meu pavor é sincero
no olho do destino severo
me vejo refletir
Cavaleiro empunhando a espada
teu reino é a minha cama florada
Deus queira que eu não queira mais nada
não tenho aonde ir

Violão: Cláudio Jorge
Violoncelo: David Chew
Contrabaixo: Jorge Helder
Violoncelo: Márcio Eymard Mallard
Arranjador: Cláudio Jorge, Gilson Peranzzetta

SAMBA DE UM BREQUE
(Guinga e Aldir Blanc)

Música pra mim
é feito o ar que eu sorvo
a mão que eu movo
e o coração
na sístole e diástole
é a prima e o bordão
o traço de união que há
entre blues, Kalu
a índia e o Caramuru
O meu breque-blue
é assim uma startrek
no infinito de Bangu
um beque de subúrbio
que surfasse em Honolulu
um jegue que no Jockey Club
com freio nos dentes
derrotasse alazães
Chuva nas manhãs
e a música soa
no orfeão de rãs
solfeja a lagoa
sola um sabiá
modula a garoa
lírios pedem bis
E quem tem o dom
pega no ar
quem sai do tom
deixa pra lá
Música pra mim
é um grito de socorro
se termina eu também morro
Ela é my body and soul
e vem o corvo do Allan Poe
e prega um nevermore geral
cinzas, Fênix
reciclando o meu carnaval
Música pra mim
não é um megaevento
é um pega-pra-capar
questão de sentimento
o afogado em pleno mar
que agarra a mão do vento e ri
usa o sofrimento pra poder flutuar

Violão: Guinga, Maurício Carrilho
Percussão: Marcos Suzano
Saxofone Soprano: Paulo Sérgio Santos
Clarinete: Paulo Sérgio Santos
Bandolim: Pedro Amorim
Arranjador: Maurício Carrilho

ELE
(Fatima Guedes)

Eu pretendo não sofrer por amor
eu sou tão feliz
eu sou muito amada
Olha a vida zombando de mim
não quer dizer nada
Já pensou sentir tudo outra vez
aquele calor invadindo a alma
se o fogo tomar conta de mim
só ele me acalma
ele me acalma

Percussão: Armando Marçal (Marçalzinho)
Contrabaixo: Jorge Helder
Violão: Marco Pereira
Guitarra: Victor Biglione
Arranjador: Marco Pereira